Introdução da Dieta GAPS

 

Introdução da Dieta GAPS

A introdução da dieta deve ser feita antes de entrar na dieta completa. Dependendo de quão fácil ou difícil o paciente passa pela primeira fase a introdução pode ser completada em 6 semanas. A introdução pode ser um sucesso com resultados visíveis já no começo da dieta ou pode se torna complicadas e com resultados não esperados. Para que a dieta tenha um efeito rápido o paciente deve seguir passo-a-passo a introdução. A dieta GAPS é uma dieta de 100% recuperação, mais precisa ser seguida corretamente.

Nota: é de extrema importância se ter o livro Gut and Psychology Syndrome para continuação da dieta completa.

O paciente que está iniciando com a dieta talvez sofrerá com sintomas comuns devido a mudança de alimentação durante a introdução da dieta. Sintomas estes que pode ser: constipação, diarreia, dor abdominal, gases, irritação de pele, dor de cabeça, etc.

Estes sintomas desaparecerá naturalmente sem necessidade de mediação.

Nota:  Em caso de constipação, a Dr Natasha Campbell- McBride recomenda a ingestão de sucos prensados naturalmente (sem adição de açúcares), antes de se iniciar a dieta completa. Suco de folhas e frutas prensado naturalmente ajuda estimular o Bilis e o aumento do suco biliar, resultando em um alivio da constipação.

Alergia e intolerância à alimentos:  Algumas pessoas tem sensibilidade, intolerância ou alergias a certos alimentos ou talvez à “todos” os alimentos. Uma das razoes para alergias ou intolerância à alimentos é conhecido como “Leaky Gut” ou vazamento das paredes intestinais. Ou seja isso acontece quando o intestino está sendo ferido pela própria flora intestinal. A comida ingerida não é completamente absorvida pela parede intestinal que está danificada ou ferida. Isso causa o sistema imuno a reagir em forma de intolerância e alergias. Alguns pacientes talvez pensam que tudo o que ele comer lhe causa alergia e dores intestinais. Este problema pode ser consertado com a introdução da dieta GAPS, neste caso dobrando a fases de uma semana para duras semana em cada fase. Este dará um tempo suficiente para consertar a flora intestinal e a recuperação das paredes intestinais preparando o paciente para a introdução dieta.

Preparando para a Introdução da Dieta

Todas as manhãs:

Comece o dia com um copo de água mineral ou filtrada em temperatura ambiente. Dê ao paciente probióticos. Somente ingerir alimentos restritos à dieta. Talvez o paciente apresente sintomas de diarreia, constipação ou dores abdominais. Se o sintomas persistir ao adicionar um novo alimento, isso quer dizes que o paciente ainda não está preparado para a ingestão deste alimento. Espera uma semana para reintroduzir o alimento novamente.

Teste de Sensitividade:

para saber se o paciente tem alergia à algum tipo de alimento, pegue uma gota ou uma pequena quantidade do possível alimento, misture com algumas gota de água e levemente aplica do lado interno do pulso. Deixe dormir da noite para o dia e cheque o local pela manha. Se o local estiver irritado, vermelho, ou com manchas, isto quer dizer sinais de alergia e este alimento deve ser evitado por mais alguns dias antes de reintroduzi lo a dieta. Se o local estiver limpo e sem alterações , isso quer dizer que o paciente está livre para a ingestão deste alimento. Se o paciente tem duvida sobre o alimento durante a dieta, este deve fazer o teste de sensitividade antes de introduzi lo na dieta.

 

 

Fase 1

Caldos de Carne, Frango ou Peixe

Os caldos de carne ou peixe age como um emulsificante para as areas inflamada das parede intestinais. Caldos de carne já vem sendo usados há centenas de anos para tratar problemas digestivos e inflamação do intestino. Os caldos usados para o tratamento deve ser natural e feito em casa. Caldos comercializados como temperos prontos, temperos em pó, tempero em cubos ou em pasta deve ser evitados. Este são altamente processados e pode agravar os problemas intestinais.

O caldo de frango feito em casa é um dos caldos mais recomendados para quem esta iniciando a dieta pois este é de fácil digestão e não irrita o estômago. Para se preparar um bom caldo é recomendado que se use ossos de frango (de preferencia orgânico), miúdos de frango, carcaça, etc. uma ou duas cenouras, um ou dois talos de aipo, uma cebola, algum deles de alho inteiro, pimenta preta (opcional) alguns talos de salsinha, uma ou duas folhas de louro, alguns talos de tomilho fresco, uma colher chá de vinagre de maçã, uma pitada de sal, e água fria para cobrir todos os ingredientes. Cozinhe estes por pelo menos 3 horas em fogo baixo, ou na panela de pressão por uma hora.

Depois do caldo pronto este deve ser usado diariamente tanto quanto para tomar na xícara ou como base para sopas. O paciente deve unicamente fazer uso do caldo por pelo menos 7 dias antes de introduzir outros alimentos. O caldo pode ser guardado na geladeira por 7 dias, ou congelado individualmente em pequenos potes.

 

Nota: Não é recomendado o uso de microondas para o reaquecimento do caldo, somente usar fogão convencional.

“Suco” do Probióticos Pode Ser Introduzidos Já no Começo da Dieta

Probióticos feitos em casa com base vegetal como chucrute, vegetais fermentados ou kavass de beterraba. Para evitar reações alérgicas os probióticos devem ser introduzidos gradualmente. Comece introduzindo 1-2 colheres (chá) de por dia por 2-5 dias, então 3-4 colheres (chá) por 2-5 dias. O paciente pode tomar o probióticos diretamente colherada por colherada ou misturar na sopa ou no caldo em cada alimentação.

Durante a introdução o paciente esta liberado para tomar chá natural de gengibre com uma colher (chá) de mel de abelha.

 

Fase 2

Continue com o a fase 1.

Continue com os caldos, alimentos fermentados e o chá de gengibre.

Para a fase dois o paciente deve introduzir uma gema crua de ovo por dia (orgânico de preferencia). Este pode ser misturado na sopa ou no caldo. O paciente pode ir gradualmente aumentando a quantidade de gemas por cada prato de sopa, mais somente  se as gemas não estiver causando irritações ou desconforto intestinal. Se o paciente estiver preocupado com alergias ele pode fazer o teste de sensibilidade antes de introduzir gemas de ovo na dieta. Se as gemas de ovos estiver sendo bem aceita sem irritações ou desconfortos intestinais, o paciente pode introduzir um ovo cozido por dia com a gema bem mole.

O paciente também poderá introduzir cozidos ou gizados de carne sem abusar no temperos, ervas frescas e sal é o recomendável.  O paciente pode introduzir ghee para preparar a carne ou guisados.

 

Fase 3

Continua com a fase 2. Nesta fase o paciente estará preparado para introduzir abacate maduro. 1-3 colheres (chá) de abacate por prato de sopa. Vai aumentando gradualmente se o abacate esta sendo bem aceito pelo paciente, sem causar dores ou desconfortos intestinais.

Adicionar panquecas, começando com uma por dia e aumentando a quantidade gradualmente.

Para preparar as panquecas o paciente deve usar três ingredientes: pasta de amêndoas ( amêndoas, noses, amendoim, castanhas), ovos e duas colheres de purê de abóbora cozida. o paciente deve usar gordura animal para fritar as panquecas. Gorduras como ghee, gordura de pato, gordura de porco, etc.

Ovos Mexidos

Depois que o abacate estiver sendo bem aceito pelo intestino, o paciente estará liberado para introduzir ovos mexidos e cebola cozidas na gordura animal. (a cebola deve ser cozida no fogo baixo por pelo menos uns 20-30 minutos).

Agora que ovos, abacate, panquecas, cebola, etc já foram introduzidos, está na hora de introduzir as verduras fermentadas. O paciente estará liberado para consumir chucrute ou verduras fermentadas junto com carne, abacate e ovos. Comece com uma quantidade pequena e vai aumentando gradualmente.

 

 

 

Fase 4

Continue com a fase 3.

Gradualmente introduzir carnes cozidas, grelhadas, assadas (não churrasco por enquanto).

Introduzir puro azeite de oliva de preferencia prensado a frio. Comece com 1-2 colheres (sopa) por cada refeição.

Introduzir sucos prensados fresco, comece introduzindo 2-3 colheres (sopa) de suco de cenoura, que pode ser diluído em água filtrada. Se o paciente fizer boa aceitação do suco este deve ser aumentado para um copo cheio de suco por dia. Se o paciente estiver tendo uma boa aceitação do suco de cenoura, outros alimentos/vegetais e folhas pode ser prensado junto ao suco de cenoura. Vegetais como aipo, alface, folhas de menta. O paciente deve tomar o suco de estômago vazio, antes do café da manha, almoço e jantar.

Talvez nesta fase o paciente comece a tolerar alimentos assados como pães, feitos com amêndoas, castanhas, noses, e sementes. Os ingredientes nesta fase da dieta são muito simples. O paciente irá precisar de farinha de amêndoa, ovos, purê de abóbora, sal e gordura animal. O paciente pode começar com uma fatia de pão por dia e gradualmente aumentado a quantidade.

 

Fase 5

Continue com as fases anteriores. Nesta fase o paciente pode começar a introduzir maçã. Para introduzir maçã o paciente irá precisar cozinha a maçã até ficar macia, esta pode ser misturada com uma colher (sopa) de gordura animal como por exemplo ghee. Também nesta faze está na hora de introduzir vegetais crus, como alface, pepino, tomate, cenoura, cebola, repolho, etc. Lembrando que estas verduras deve ser introduzida gradualmente e aumentando a quantidade dependendo da reação do paciente. Se o suco de cenoura foi aceito bem pelo paciente então está na hora de adicionar sucos de frutas como maçã, abacaxi, e manga. Evitar sucos com frutas cítricas por enquanto.

Nota: Lembrando que estes sucos deve ser feitos com frutas frescas e pesadas naturalmente sem adição de açúcares ou leite.

Fase 6

Se todos os alimentos introduzidos foram bem tolerados pelo paciente, entanto está na hora de introduzir maçã crua descascada. O paciente pode introduzir mais frutas frescas e mel de abelha na dieta. Outros ingredientes poderá ser introduzido nesta fase preparando o paciente para a dieta completa ou Full GAPS Diet.

Nota: Para o paciente poder iniciar a full GAPS diet o paciente deve está usando o banheiro regularmente, sem diarreia ou constipação, sem desconfortos ou dores intestinais. Se o paciente tiver qualquer reação alérgicas à qualquer alimento introduzido, este deve voltar para a primeira fase até que esteja se sentindo melhor novamente. Lembre de introduzir alimentos gradualmente para assim evitar alergias e desconfortos intestinais.

Lista 1- Alimentos aceito durante a dieta:

amêndoas, incluindo pasta de amêndoas e óleo

maçã

damasco fresco e seco sem açúcar

alcachofra

queijo asiago

aspargos

beringela

abacate

bananas maduras

carne de vaca fresca ou congelada

beterraba

berries- frutinhas como morangos, mirtilo, amoras, framboesas….

pimenta do reino

rabanetes

queijo azul

couve china

castanha do pará

queijo brie

brocolis

manteiga

repolho

queijo camembert

peixe fresco

sardinha enlatada no óleo ou na água

atum enlatada no óleo ou na água sem temperos

alcaparras

cenoura

castanha de caju

couve-flor

pimenta caiena

nabo

aipo

suplemento de celulose

queijo cheddar

cherimoia

cerejas frescas

frango/galinha/pato

canela

coco fresco ou seco

leite de coco

óleo de coco

zucchini

coentro fresco

pepino

dates

ovos frescos

alho

Ghee feito em casa

gengibre fresco ou seco sem açúcar

queijo gorgonzola

queijo guda

laranjas

uvas

noses

chá de ervas

mel de abelha natural

suco de frutas ou verduras fresco

couve

kiwi

carneiro

limão

alface

manga

melão

cogumelo fresco

mostarda

nectarina

farinha de noses/amêndoas

nos moscada

azeite de oliva

cebola/cebolinha verde

mamão

queijo parmesão

salsinha

pêssegos

pitangas

amendoim

pêra

pimentas

pimentões

espinafre

uva passas

picles sem açúcar

abacaxi

porco fresco

bacon

ameixas

abóboras

folhas de beterraba

queijo romano

mariscos

abobrinha verde

queijo suíço

tangerinas

tomates

peru

nabo

vinagre

goiaba madura

pinha

fruta do conde

maxixi

banana da terra madura- cozida, frita, assada…

jiló

menta

camomila

iogurte caseiro

agrião

Lista 2Alimentos que DEVE SER EVITADOS durante a dieta:

gluten

leite

hagar-hagar

xarope de agave

algas

aloe vera

amaranto

suco de maçã

aipim/mandioca

açúcar artificial

aspartame

xilitol

feijões

fermento biologico, químico em pó

vinagre balsamico

cevada

farinha de feijão

polen

quiabo

temperos artificiais como Knorr e outros

trigo sarraceno

triguilho

creme de leite

nata

nenhum vegetal enlatado

carragenina

goma de celulose

cereais

queijo processado oi queijo fresco

chicletes

grão de bico

chocolate

cacau em pó

óleos para cozinhar como: canola, milho, soja, algodão…

milho

amido de milho

karo

creme de tartaro

creme de queijo

dextrose

queijo feta

peixe enlatado com molho

todos os grãos

fructose

frutas enlatadas

presunto

salsicha de hot-dog

sorvetes

geleias

gelatina artificial

ketchup comercial

lactose

margarina

carnes processadas

milhete

leite enlatado processado

leite de coco enlatado

leite em pó

melado

queijo mussarela

aveia

macarrão

pectina

batata

batata doce

quinoa

arroz

queijo ricota

centeio

sagu

linguiça comercial

semolina

refrigerantes

creme azedo

soja

espelta

amidos

açúcar/ sacarose

tapioca

trigo

germe de trigo

soro de leite

inhame

iogurte comercial

* Gluten: Evitar todo alimentos que contem gluten, soja, amido, açúcar caseína, corantes, conservantes, etc. Alguns exemplos abaixo:

• Pão, torrada, bolacha, biscoito, massas, bolos,

• Cerveja, pizza, salgadinhos, cachorro quente, hambúrguer;

• Gérmen de trigo, triguilho, sêmola de trigo;

• Queijos, ketchup, maionese, shoyu;

• Salsicha, temperos industrializados;

• Cereais, barrinha de cereais, xaropes e alguns remédios.

• Molhos branco;

• sopas desidratadas ou temperos prontos;

** Evitar todo alimento que contem amido: por exemplo grãos, arroz, trigo, milho, grão de bico… feijões, algumas sementes, e muitas raízes como: aipim(macaxeira, mandioca) batatas…

Evitar todo tipo de açúcar, tanto natural como artificial. O único adoçante aceito na dieta GAPS é o mel de abelha puro.

 

Leave a Reply